• Clio Operária

Juntos com Boulos e Erundina pelo Poder Popular em São Paulo

“Enquanto não tenhais força para dissolver o parlamento burguês e qualquer outra organização reacionária, vossa obrigação é atuar no seio dessas instituições, precisamente porque ainda há nelas operários embrutecidos pelo clero e pela vida nos rincões... Do contrário, correi o risco de vos converter em simples charlatães.” – Vladimir I. Lenin


As eleições de 2020 se tornaram palco de disputa para diferentes projetos políticos. O bolsonarismo, buscando avançar ainda mais na sua ofensiva contra a classe trabalhadora e o povo brasileiro, entendeu isso e busca construir uma estratégia de variadas possibilidades de vitória.

Para o campo político da esquerda essas eleições simbolizam uma forma de reagir e combater o bolsonarismo através dos âmbitos municipais. Muito se fala de frentes amplas e alianças possíveis. De certo, campos do liberalismo de esquerda já começaram as suas alianças com partidos fisiológicos do tradicionalismo político da burguesia brasileira.

Já a esquerda radical, afastada em larga escala do poder institucional, vem construindo com as seus militantes campanhas fortes com projeção. Diversas candidaturas coletivas para a vereança vão aparecendo pelo país e abraçando a oportunidade de pautar as grandes questões do povo por uma perspectiva de ruptura com a ordem burguesa e anticapitalista. E essa disputa não se limita apenas aos cargos de vereador: as candidaturas para o poder executivo nas cidades também se tornaram alvo de disputa para a esquerda radical também.

Em São Paulo, a cidade mais importante do país nessas eleições, surgiu uma frente de esquerda, radical e pelo poder popular, através da candidatura de Guilherme Boulos e Luiza Erundina pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Uma coligação histórica entre PSOL, PCB (Partido Comunista Brasileiro) e UP (Unidade pelo Socialismo), uma chapa de luta, militante e sem medo do bom combate. Uma campanha tocada pela militância, ao lado do povo.

A Clio Operária, sendo uma revista marxista e independente, que se propõe a luta e é construída por pessoas de luta, vem a público cumprir o seu dever político de apoiar Guilherme Boulos e Luíza Erundina que compõem a única candidatura possível para mudar São Paulo e fazer da maior cidade da América Latina um polo de resistência ao fascismo do governo federal.


Derrotar o bolsonarismo é urgente, e as eleições também são campo de batalha.

54 visualizações
apoie.png