• williamspoiato

O que pensam os comunistas? | CEMZL


O texto a seguir é fruto do primeiro modulo do curso "Introdução do pensamento marxista" pelo CEM-ZL. Apoie e faça parte: Apoia.se/cemzonaleste

Autoria: Ricardo Leopoldo Assim como em 1848, desmitificar o comunismo torna-se necessário; Marx e Engels iniciam "O Manifesto Comunista" com esse objetivo. Hoje sabendo das inúmeras calúnias e difamações que nosso movimento recebe, não há dúvidas da atual necessidade de um esclarecimento por parte dos seus integrantes.


Afinal, o que pensam os Comunistas? Essa pergunta foi tema central do nosso primeiro encontro no Centro de Estudos Marxistas – CEM, tendo como base o clássico manifesto.


Responder uma pergunta como essa não é uma simples tarefa, principalmente com dezenas de correntes marxistas existentes, entretanto algumas particularidades e traços semelhantes norteiam o pensamento comunista. O conceito de luta de classe é uns dos fundamentos do pensamento marxista, essa ideia leva como o principal fator, o conflito entre classes como motor histórico da humanidade, como: senhores e escravos, servos e vassalos, e até então, burgueses e proletários. Esta maneira de ver o mundo foi denominada de Materialismo histórico, e é essa metodologia que move a análise de mundo marxista.


O Comunismo não se torna batido, pois como bem apontado no objeto de estudo, quando a burguesia rompe os laços feudais da sociedade, apenas liberta sua classe da exploração, ao mesmo tempo que oprime uma outra. Os burgueses tiveram grandes conquistas e feitos, estes que puderam elevar a sociedade a níveis jamais vistos, porém a revolução burguesa também trouxe mecanismos de alienação para conter e amortecer o conflito com seus antagonistas, que até os dias de hoje sofrem com a opressão por parte dos seus dominantes.


O comunista atua com e para a classe trabalhadora, com objetivo de libertá-la,

abolindo a exploração de um homem para outro homem, e de uma classe para

outra, fazendo um estado proletário de viés socialista com foco no Comunismo.


Na obra citada alguns princípios são lançados, mas estes não são dogmas fechados, levando em consideração que a própria metodologia marxista não permite uma análise parada no tempo, e sim uma contínua observação materialista e objetiva da realidade. Certos conceitos que para muitos soam como radical demais, são o que diferenciam o nosso comunismo de outros; dentre essas ideias que formam o socialismo científico, estão a abolição propriedade privada, a taxação sobre heranças, e cobrança e expropriações do mais ricos.


A ideia de uma sociedade igualitária e justa não é exclusividade dos marxistas, vejamos o comunismo primitivo da fé cristã. O socialismo científico usa um modo teórico para se mover e não apenas se apoia em um ideal puramente ingênuo e espontâneo, ao contrário, segue bases sólidas das ciências sociais.


Em suma, um comunista pensa em um mundo mais justo e igualitário, sem a opressão histórica pelo fator socioeconômico. Por fim, como citado no último parágrafo do Manifesto Comunista: "Os comunistas não ocultam suas opiniões e objetivos. Declaram abertamente que seus fins só serão alcançados com a derrubada violenta da ordem social existente. Que as classes dominantes


tremam diante de uma revolução comunista. Os proletários não têm nada a perder nela, além de seus grilhões. Têm um mundo a conquistar. Proletários de todos os países, uni-vos!"

110 visualizações
apoie.png